Os 9 Melhores Champanhes em 2021

“Só pessoas sem imaginação não conseguem encontrar motivo para beber champagne”. Bem que gostaria que essa frase fosse minha, mas não é. Seu autor é o influente escritor irlandês Oscar Wilde. Deu vontade de conhecer quais são os melhores champanhes?

Por se tratar de uma bebida especial, normalmente é consumida em momentos igualmente especiais, com elevado grau de sofisticação e representatividade. Grosso modo, podemos dizer que o champanhe é um tipo de vinho cuja composição contém gás carbônico.

No Brasil, inclusive, estão algumas das melhores vinícolas do mundo, mais precisamente na Serra Gaúcha. Por ser uma bebida heterogênea, tem peculiaridades únicas, que influenciam o gosto e o valor final. Confira nosso repertório.

Melhores champagnes para comprar online 

Champagnes são, impreterivelmente, elaborados à base somente das uvas pinot meunier, pinot noir e chardonnay.  Escolhemos os melhores champanhes com venda pela internet, para comprar diretamente do seu sofá.

1. Champanhe Cordon Negro Brut 2021 – Freixenet

Boa relação custo-benefício

Famosa por ter preços acessíveis e ótimos atributos, a Freixenet se enquadra na nossa lista dos melhores champanhes, fabricando vinhos há mais de um século. O Cordon Negro é tido como Cava por ser manufaturado na região da Catalunha, Espanha. Foi lançado no ano de 1974 e é um dos carros chefe dessa marca.

Sua coloração é amarelo palha brilhante, com tons esverdeados. Tem o sabor leve e cristalino, e sua borbulha, delicada e abundante, produz uma atraente coroa. Sua garrafa preta e dourada é a representação perfeita e simbólica do fabricante.

Tem eflúvios de frutas cítricas e sua acidez é balanceada, por isso é adequado para estar junto de carnes, aperitivos, risotos e massas. Seu teor alcoólico é de 11,5%, é classificado como Brut, Cava é sua denominação de origem e sua temperatura de serviço é de 6ºC a 8ºC. Seu volume é de 750 ml e as uvas usadas são Parellada, Xarel-lo e Macabeo.

Prós

Contras

✅ Bom preço

✅ Suave e refrescante

🚫 -


2.  Espumante Moscatel 750 ml – Casa Perini

Um dos melhores moscatéis do mundo

Considerado não só o melhor moscatel brasileiro, mas também um dos melhores champanhes do mundo. Ótimas procedência e qualidade, inclui-se na categoria vinho espumante branco, com teor alcoólico de 8% e produzido com uvas moscato.

É elaborado com uvas da serra gaúcha, mais precisamente da cidade de Garibaldi, que tem esse nome em homenagem ao herói italiano e é considerada a capital brasileira do espumante. Harmoniza otimamente bem com vários pratos sofisticados.

Isto se dá porque o clima cai como uma luva para o cultivo de uma uva de sabor adocicado e delicado chamada moscato. 

Boa alternativa para momentos incomuns e/ou comemorativos. Trata-se de um espumante muito agradável, por ter toques sutis e cítricos em sua estruturação.

Prós

Contras

✅ Eclético para harmonizações

✅ Ameno com toques cítricos

🚫 -


3. Espumante Demi Sec 750 ml – Chandon 

Um dos melhores espumantes nacionais

A Chandon é uma assinatura francesa proprietária de muitas vinícolas distribuídas pelo mundo todo. Chegou ao Brasil  em 1973 e desde o início vem fazendo espumantes de indiscutível qualidade. É, sem dúvida, um dos melhores champanhes nacionais.

Sutilmente suave, este Demi Sec alia o viço do Riesling Itálico com os eflúvios frutados do Chardonnay, e enriquece sua diversidade com a suavidade da inconfundível estrutura do Pinot Noir. Perfeito para acompanhar pratos requintados mais doces.

O clima subtropical quente das Serras Gaúchas favorece o cultivo dessa uva própria para a fabricação deste espumante. As uvas são colhidas à mão, com respeito e em conexão com os propósitos da vinícola. Que nada mais é do que alcançar uma experiência excepcional, de maneira harmoniosa e construtiva, rumo a um futuro sustentável e consciente.

Prós

Contras

✅ Muito bem avaliado pelos internautas

🚫 -

4. Espumante Prosecco 2020 750ml – Garibaldi 

Melhor relação custo-benefício

Este é o precursor dos espumantes Prosecco Rosé no Brasil. Reconhecido internacionalmente por seu ineditismo, tem como características ser refrescante, pastoso e airoso. Harmoniza-se com canapés, sopas, peixes leves, frutas secas, e frutos do mar.

Possui coloração rosa delicada, com perlage tênue, carregado e duradouro, gosto equilibrado, brando e viscoso.  Seu teor alcoólico é de 11,5% e seu design é único. É produzido na vinícola Garibaldi e não é safrado.

A cidade de Garibaldi é identificada como a Capital do Espumante, e esse espumante só poderia ter vindo de lá. A Cooperativa Vinícola Garibaldi é especializada na confecção de espumantes, sendo este um dos mais leves e suaves, com aromas sutis e harmonizados e, por isso mesmo, muito bem aceito pelo paladar.

Prós

Contras

✅ Primeiro Prosecco Rosé do Brasil

🚫 -

✅ Design exclusivo

5. Espumante Aurora Branco 750 ml – Moscatel 

Premiadíssimo

Esse espumante é premiadíssimo e feito com uvas do tipo Moscato Giallo e Moscato Bianco. Ambas do tipo particularmente doces e perfeitas para a fabricação de espumantes mais vaporosos.

A vinícola Aurora é a maior do Brasil, e iniciou suas atividades no ano de 1875, através de imigrantes vindos do norte da Itália. Situa-se na cidade de Bento Gonçalves e mais de 1.100 famílias se vincularam à cooperativa, cuja produção é dirigida por técnicos que estão constantemente em contato com o produtor.

Visualmente falando, o aspecto do Aurora Branco é  reluzente com tonalidade amarelo-esverdeado, e possui uma coroa com finas e grande quantidade de borbulhas.

Quando degustado, expõe cremosidade com ótimo balanceamento entre acidez e dulçor.

Prós

Contras

✅ Possui um corpo equilibrado

🚫 -

✅ Acompanha vários pratos

6. Espumante Arte Brut Rose – Casa Valduga

Boa qualidade e preço acessível

A acidez e a ebulição deste vinho combinam com uma tábua de qualquer tipo de queijo, desde os mais tenros aos mais rígidos e curados. É um espumante brasileiro barato e de muita qualidade. Originário do Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul.

Seu trunfo está na combinação equilibrada de 60% de Chardonnay e 40% de Pinot Noir e ser maturado por 12 meses em caves subterrâneas, permitindo um sabor que refresca e agrada ao paladar.

O ganhador de prêmios Casa Valduga forma a famosa parceria do bom e barato, e harmoniza com carnes, molhos brancos e peixes. A temperatura indicada para ser consumido é de 4ºC a 6ºC, e seu teor alcoólico é de 11,5%

Aconselhável, portanto, beber com moderação. Seu bouquet lembra amora e pêssego.

Prós

Contras

✅ Fica 12 meses em caves subterrâneas

🚫 -

✅ Bom e barato

7. Espumante Brut Reserva Ouro – Salton

Melhor espumante da Salton

Muitos consideram este o melhor espumante da Salton. O negócio foi formalmente concebido no ano de 1910, quando os 6 filhos do imigrante Antonio Domenico Salton deram marca corporativa às transações comerciais do pai. Hoje é conceituadíssima.

O Reserva Ouro é composto por 60% de uvas Chardonnay, 20% de uvas Riesling e 20% de uvas Pinot Noir. O sumo das uvas que passa pelo processo de fermentação é retirado com prensa que é acionada por ar comprimido, depois é curtido em temperatura baixa.

Na primeira fermentação 20% do vinho é fermentado e preservado em barris de carvalho norte-americanas meio tostadas. A segunda fermentação se dá em tanques totalmente fechados, por um período de um mês, na temperatura de 13ºC.

Medalha de Ouro no Concurso Internacional de Vinhos do Brasil em 2016.

Prós

Contras

✅ Sabor sofisticado

🚫 -

✅ Design exclusivo

8. Champanhe Moet Imperial Brut 750 ml – Moët Chandon

Melhor Chandon

Moët Chandon é clássico, dispensa apresentações. Até a música da Rita Lee dizia: “…garçom, afasta de mim esse cálice e me traz Moët Chandon”. É um ícone reconhecido internacionalmente.

Criado em 1869, traduz com todas as letras o charme Moët Chandon, que se revela por seu gosto ativo de fruto fresco, seu paladar arrebatador e sua maturidade sofisticada. É um champagne branco brut seco, concebido e gerado em Champagne, França. 

No aroma se sobressai a pujança picante das frutas cítricas e da maçã verde, com pitadas aromáticas de minerais e flores e o garbo das notas sazonadas de nozes frescas, cereais e brioche. No paladar a suave sensação de finas borbulhas, a agradável leveza das peras, pêssegos e maçãs e a tocante exuberância de frutas cítricas com toques de groselha.

Prós

Contras

✅ Um dos champanhes mais chiques

🚫 -

✅ Perfeita tradução desse rótulo

9. Champanhe Nature 750 ml – Georges Aubert

Voltou ao mercado com força total

Poucos sabem, mas a marca Georges Aubert fechou as portas em 2012 e reabriu em 2017. Foi, por algumas décadas, conhecidíssima no Brasil e controlava 60% do mercado. Isso é o que pode-se chamar de “renascer das cinzas”.

O recomeço foi feito de forma gradativa, com as linhas menos complexas, como moscatel e prosecco, e aos poucos foram sendo adicionados novos produtos, para não manchar o nome Georges Aubert. E, realmente, estão valorizando a marca com produtos de qualidade.

A bebida consegue um equilíbrio perfeito entre as uvas Pinot Noir e Chardonnay, tornando-o o mais seco dos espumantes, com pouquíssimo açúcar residual, perfeito para harmonizar com pratos como sushi, ceviche branco e frutos do mar. Pratos salgados, enfim.

A temperatura ideal para ser servido é entre 6ºC e 8ºC e sua graduação alcoólica é de 12%.

Prós

Contras

✅ Refrescante com notas frutais

🚫 -

✅ O mais seco dos espumantes

Qual a diferença entre um espumante e um champanhe? 

É muito comum as pessoas pensarem que champanhe e espumante são palavras sinônimas. Todos os vinhos brancos que produzem aquelas famosas bolhinhas costumam ser chamados de champanhe no Brasil.

Não somente as palavras são diferentes, como também o modo de fabricar. Muitas pessoas em nosso país chamam todos os vinhos brancos que borbulham devido ao gás carbônico de champanhe. Isto, a rigor, não é correto.

Apesar das similitudes, podemos resumir da seguinte forma: todo champagne é um espumante, porém nem todo espumante é um champagne. Fique, então, ligado no rótulo quando for comprar, para não levar gato por lebre.

Se optar pelo original francês, vale a pena pesquisar por pratos que harmonizam entre si, assim sua experiência será memorável. 

Como escolher o melhor champanhe 

Antes de comprar os melhores champanhes, vale a pena dar uma checada nos critérios de escolha para que você tenha uma opinião mais convicta.

Paladar 

O sabor é importante para orientar a escolha dos melhores champanhes. Há muita variedade, mas algumas são mais corriqueiras. As notas cítricas são muito encontradas nos espumantes, lembrando laranja, tangerina e outras. São perfeitas para dar um toque refrescante na bebida.

Já em relação aos vinhos roses, normalmente têm aroma de frutas vermelhas e florais dessa mesma cor. Amoras, cerejas e morangos são as mais usadas. Esses espumantes harmonizam-se muito bem com doces.

Tipos de uvas 

A uva é importante na escolha dessa bebida. Em relação aos melhores champanhes, as regras de cultivo permitem somente 3 tipos de uvas: Pinot Meunier, Pinot Noir e Chardonnay. 

Mesmo somente a primeira ser branca, as outras duas são vinificadas sem a casca, tornando-as claras também. Curiosamente, os champanhes não possuem ano de safra colocado no rótulo, pois costumam usar uvas de distintas plantações e épocas.

Teor alcoólico 

Esse tipo de bebida varia muito quando o assunto é teor alcoólico. Isso se dá porque, de acordo com o tipo de uva e sua fermentação, o resultado com relação ao álcool produzido será diferente entre si.

Os melhores champanhes com grau alcoólico maior costumam ter sabor mais forte. Por outro lado, aqueles com menos álcool são mais rarefeitos.

Doçura 

Esse é o primeiro quesito a se observar antes da compra de seu champanhe, ou qualquer outro tipo de espumante. A quantidade de açúcar presente na bebida é de fundamental importância na escolha do produto. Essa informação normalmente está no título do produto.

A classificação do champanhe é estipulada pelo teor de açúcar. A quantidade de açúcar que a bebida deve ter dependerá, principalmente, do uso que se quer dar à bebida. 

Os espumantes Brut são mais fáceis de serem encontrados, e são bem equilibrados quanto à doçura. Se você é do tipo que prefere o mais doce, o certo é procurar alternativas como o Sec ou Demi-sec. O Extra Brut é o ideal para um jantar.

Se a ideia é apenas celebrar e brindar, a melhor alternativa é um champanhe Brut Nature. Para acompanhar as sobremesas recomendamos um vinho semi-seco ou doce. Por fim, uma boa notícia: o champanhe é uma das bebidas alcoólicas que menos engordam.

Harmonização

Os espumantes não apresentam dificuldades para harmonizar. Claro, um espumante versátil facilita as coisas, pois combina com tudo.

Os champanhes Brut contêm uvas mais leves e, por isso, são melhores para variar na harmonização. Sua harmonização vai desde os pratos leves até os mais pesados, como carnes vermelhas.

Para acompanhar as sobremesas, os melhores são os demi-secos e os doces.

Perguntas frequentes 

Qual taça é indicada para beber champanhe?

Para champanhe e espumantes a taça mais adequada é a flûte. Traduzindo para o português é flauta. Seu design estreito e comprido favorece a manutenção da perlage, que são as pequenas bolhas da bebida, permitindo que se sinta o cheiro no momento de degustar.

Quando foi criado o champagne?

A data a qual é imputada a concepção do champagne é 04/08/1693.  Trata-se de um vinho branco espumante, elaborado na região de Champagne, nordeste da França.

Champanhe é o mesmo que espumante?

Champagne não é sinônimo de espumante. Todo champagne é um espumante, mas nem todo espumante é um champagne. O espumante é uma bebida onde ocorrem duas fermentações naturais. Ele só pode ter esse nome se for produzido na região de Champagne, na França.

Quais as principais castas utilizadas na produção do champanhe?

As principais castas utilizadas na produção do champanhe são Pinot Meunier, Pinot Noir e Chardonnay. Essa última é muito cultivada na Côte de Sézanne e Côte de Blancs.

Qual a temperatura ideal para servir um champanhe?

Um bom champagne fica bem com a temperatura oscilando entre 12ºC e 14ºC. Um espumante moscatel brasileiro, entre 6ºC e 8ºC. E um brut (espumante seco), entre 8ºC e 10ºC.

Quanto tempo dura um espumante depois de aberto?

A oxidação do champanhe é muito rápida, podendo variar de algumas horas até poucos dias. Aconselha-se beber o espumante até no máximo 2 dias após aberto.

Qual a melhor maneira de gelar um espumante?

Existem duas boas maneiras de gelar um espumante. A primeira é deixar na geladeira por 3 a 4 horas antes de servir. A segunda é colocar a garrafa em uma vasilha com gelo e água por aproximadamente 20 minutos. Nunca coloque no congelador, pois pode explodir.

Conclusão: qual o melhor champanhe 

A melhor opção de compra é o Moet Imperial Brut 750 Ml Moët & Chandon. Esse é clássico, dispensa apresentações. 

Criado em 1869, traduz com todas as letras o charme Moët Chandon, que se revela por seu gosto ativo de fruto fresco, seu paladar arrebatador e sua maturidade sofisticada. É um champagne branco brut seco, concebido e gerado em Champagne, França. 

O champanhe com a melhor relação custo-benefício é o Espumante Salton Brut Reserva Ouro 750Ml. É composto por 60% de uvas Chardonnay, 20% de uvas Riesling e 20% de uvas Pinot Noir. 

O sumo das uvas que passa pelo processo de fermentação é retirado com prensa que é acionada por ar comprimido, depois é curtido em temperatura baixa.

Os champanhes possuem detalhes e requintes que fogem à compreensão no primeiro momento. Por isso, quando estiver inseguro, é só voltar aqui e dar uma recapitulada. 

Você pode gostar também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *