Cadastro Newsletter
Busca
PUBLICIDADE
Prêmio CP - 29/09/2016
12/05/2011 - 10h23
Restaurantes vendem móveis e louças após fechamento
Oportunidade é boa para quem quer infraestrutura sem gastar muito


Quando fechou as portas de seu restaurante nos Jardins, em outubro, o empresário Ruy Flávio Franco nem pensou em que diabos fazer com móveis e louças. Tudo ainda está ali, intocável.

Já os ingredientes têm um nobre fim. "Não tenho dinheiro para comer fora, mas tenho cozinhado muito."

Em seu apartamento, ele prepara banquetes para os amigos com remanescentes do estoque: lagostas, camarões, tentáculos de polvo...

Em São Paulo, a cada cem restaurantes e bares que abrem, 35 fecham em até um ano. Desses surgem, vez ou outra, algumas boas oportunidades de compra.

No caso do Curry Comida Indiana, que fechou no início do ano, tudo será posto à venda a partir do dia 16 (somente às segundas, das 9h às 18h). A chef Manuela Narvania fará um bazar com os móveis indianos e as louças.

Tradição

Aurelio Guzzoni, filho do fundador do hotel Ca´d´Oro (1953-2009), se desfez de mobília, louças, cristais e afins em um leilão com 1.300 lotes, finalizado no ano passado.

Mas o leilão deixou rastros: louças de bolinhas ou com friso dourado e o brasão do hotel foram arrematadas e ainda são achadas em uma loja no Alto de Pinheiros.

Também os móveis anos 50 de jacarandá, do designer romeno Jean Gillon (1919-2007), estão à venda na Passado Composto Século XX.

No leilão, o cozinheiro Vittorio Manzoli arrematou o fogão do restaurante. Foi nele, conta, que aprendeu a cozinhar. Hoje, em seu restaurante em Ilhabela (SP), Manzoli reproduz receitas como o tradicional ravióli na manteiga de sálvia do Ca´d´Oro.

O francês Nicolas Barbé, chef e dono do Cinco, que fechou na Vila Madalena no fim de 2010, fez bazar no próprio bistrô, "regado" a pasteis de pato com damasco.

Colocou à venda vinhos franceses a preço de custo e argentinos e chilenos por valores simbólicos. Funcionou.

A alternativa que achou para se livrar dos equipamentos de cozinha foi passar o ponto com tudo incluído.

Outra opção são lojas que vendem cozinhas industriais usadas --boas para quem quer infraestrutura profissional sem gastar muito.

Fonte: Folha de S. Paulo - 12/05/11

Editora Nova Gestão Ltda. | Tels.: (11) 3562-3166 | (11) 3562-3170


Site desenvolvido por Lucia Cavalcanti