Cadastro Newsletter
Busca
PUBLICIDADE
Prêmio CP - 29/09/2016
03/03/2015 - 10h48
Investimento e retorno
É preciso gastar dinheiro para economizar e ganhar dinheiro


A frase acima, à primeira vista, pode parecer contraditória para o controle de custos, mas não é. Na verdade, é sobre a falácia de se adotar uma estratégia de contenção de custos em detrimento da qualidade dos alimentos e serviços.  Para oferecer alimentos de qualidade, você deve usar ingredientes de qualidade e, não surpreendentemente, eles custam mais caro do que ingredientes de qualidade inferior.

Da mesma forma, se você quiser atrair os melhores funcionários para preparar e servir os alimentos, é preciso pagar melhores salários do que a concorrência. Se você quiser que eles mantenham seu padrão de serviço, terá que treiná-los para que entendam e sejam capazes de executar as regras.

Não cometa o erro de pensar que eles irão desenvolver estes padrões por conta própria. E é preciso fazer com que fiquem em sua empresa por anos, porque representam um investimento que foi feito pelo estabelecimento na sua formação. Isso significa que é necessário pagar salários condizentes e manter um ambiente de trabalho que demonstre a eles que você valoriza o esforço e a contribuição para o negócio.

Além disso, você também tem que gastar dinheiro para oferecer equipamentos e utensílios mais modernos e de qualidade para que a equipe possa ser mais produtiva. E é preciso manter seu salão, cozinha e estacionamento limpos e seguros para os clientes e funcionários.

Tudo isto custa dinheiro. Se você não está disposto a compensar os seus colaboradores de uma forma que demonstre o quanto você os valoriza, investir o dinheiro necessário para treiná-los, ou ainda, cuidar para que eles tenham à disposição os equipamentos e recursos necessários para permitir que façam seu trabalho de forma eficiente, você não vai ser capaz de sustentar sua vantagem competitiva no mercado.

No livro de negócios mais vendido dos anos 1980, “À Procura da Excelência”, de Peters e Waterman, os autores relatam que o custo e a eficiência, em longo prazo, partem da ênfase na qualidade, serviço ao cliente, inovação, participação e uma filosofia centrada no cliente. As empresas que prestam atenção aos seus clientes e funcionários, não apenas atingem, mas também superam suas metas financeiras. Volume esconde um sem-número de pecados no controle de custos e atenção à qualidade gera maior volume de vendas.

Programas de controle de custos geram custos, independentemente de serem eles eletrônicos, mecânicos ou manuais, também incluem um componente de tempo durante o qual a administração deve reunir, organizar e analisar os relatórios e as programações. A informática tem diminuído o tempo que se leva para registrar e organizar os dados de gestão necessários para o controle. Com o desenvolvimento de programas e softwares, a gerência pode utilizar mais tempo analisando dados, em vez de complicar informações para os relatórios.

Lembre-se: os padrões de qualidade e o investimento em controle de custos trabalham de mãos dadas.
Fonte: Geraldo Banas

Editora Nova Gestão Ltda. | Tels.: (11) 3562-3166 | (11) 3562-3170


Site desenvolvido por Lucia Cavalcanti