Cadastro Newsletter
Busca
PUBLICIDADE
Prêmio CP - 29/09/2016
Fotolia / corbisrffancy
17/1/2014 - 09h13
Todo restaurante é classificado pelo preço
Os preços do restaurante devem estar alinhados com a faixa de preço em que a maioria de seus clientes o avalia



Os clientes costumam classificar os estabelecimentos em uma de três categorias de preços: (1) preço baixo, (2) preço moderado, e (3) preço elevado. O tíquete médio não é determinado porque o cliente o colocou num destes três patamares. Isto vai depender de sua renda familiar e da localização do estabelecimento. Por exemplo, os preços cobrados por um restaurante de luxo em um subúrbio de Santa Rita será menor do que um similar em Ipanema no Rio de Janeiro.

De qualquer maneira, os preços do restaurante devem estar alinhados com a faixa de preço em que a maioria de seus clientes o avalia. Se alguns itens do cardápio estão mais caros do que esta média, os clientes irão consumir menos desses itens. Por outro lado, se os itens estiverem com preços muito baixos, a operação corre o risco de ter sua imagem rebaixada e com isto fazer o tíquete médio cair.

Parte dessa categorização é influenciada pelo fato de a ocasião ser um ´´lugar para comer´´ ou uma ´´situação de jantar fora´´. Se o restaurante é considerado como um ´´lugar para comer´´ – um substituto para comer em casa – os clientes terão mais consciência do preço. Se ele for classificado como uma operação de ´´jantar fora´´, a ocasião é considerada como social e entretenimento, e as restrições ao consumo estão mais relaxadas.

Saber como os clientes avaliam seu estabelecimento é importante para sua decisão de preços. Raramente um restaurante será classificado em duas categorias pelo mesmo cliente. A freqüência de visitas a uma operação ´´lugar para comer´´ será maior do que a operação ´´jantar fora´´, mas a quantidade de dinheiro gasto será consideravelmente menor. Clientes regulares de dias de semana podem ir para outro lugar para celebrações especiais, como aniversários e comemorações. Clientela de final de semana difere um pouco dos clientes do meio da semana. Por exemplo, os residentes locais podem ser a maior parte do tráfego durante a semana, enquanto os visitantes, turistas, ou mesmo moradores de outros bairros pode compor a maioria dos clientes de fim de semana. Estas pessoas podem classificar a operação como “jantar fora” ou local para comemorações e seus gastos serão mais liberais.


Fonte: Blog do Banas (www.unimarket.com.br)
Editora Nova Gestão Ltda. | Tels.: (11) 3562-3166 | (11) 3562-3170


Site desenvolvido por Lucia Cavalcanti