Cadastro Newsletter
Busca
PUBLICIDADE
Prêmio CP - 29/09/2016
Fotolia / Paul Vinten
15/1/2014 - 09h27
Bufê no almoço e ´´à la carte´´ no jantar
É muito bom conversar com as pessoas. Muito mais quando se trata do ´´negócio restaurante´´



Troco ideias com inúmeros proprietários de restaurantes. E, por força da minha profissão, faço isso regularmente. Gosto, porque aprendo muito.

A maneira como eles administram os problemas, gerenciam a equipe e a cozinha. Uau! Estes caras são muito bons!!!

Há alguns dias, aprendi mais uma solução, que quero dividir com vcs. – porque sei que o amigo que me deu o alerta não irá se importar, um ótimo profissional e proprietário de um restaurante de grande sucesso no interior de São Paulo.

Vamos aos fatos: quando vc. – como ele – tem uma operação que faz um mix de bufê (no almoço) e à la carte no jantar, surge o problema dos frequentadores habituais: no almoço, eles estão acostumados a se servir dos alimentos que estão disponíveis no bufê. É tudo imediato: se servem e se alimentam. Na hora. E ponto final!

Mas, no jantar, com o ´´à la carte´´, tudo muda de figura. Eles (por motivos diversos – e isso acontece principalmente em cidades menores ou em restaurantes de bairro) são os mesmos – em grande parte – clientes do bufê, que voltam ao estabelecimento no período noturno.

Como administrar essa diversidade de serviço?

Estes clientes imaginam que irão escolher qualquer prato do cardápio e serão servidos IMEDIATAMENTE! Agora! Neste momento! Como o seriam se estivessem no bufê.

Ora, sabemos que isso não é verdade, pois o cardápio à la carte oferece pratos que demandam tempo para serem preparados, (15 a 30 min. e, às vezes, até mais).

Mas este cliente habitual – do bufê de almoço – tem o hábito de ter o alimento no prato no minuto seguinte ao que entra no seu restaurante.

Como você vai resolver esse impasse, e não desapontá-lo?

Muito bem, este amigo deu uma solução, que eu considero GENIAL:

À noite, continue com seu serviço ´´à la carte´´ e crie um bufê com os pratos mais servidos neste período – aqueles que realmente vendem MUITO (giro alto) – mas não passe de 3 ou 4 opções. Isto vai arrefecer a ansiedade dos clientes habituais (bufê de almoço) e, também, criar uma nova clientela – daqueles que procuram soluções fáceis, imediatas e mais baratas.

Exemplo:

Monte um bufê com:

  • Uma carne;
  • Duas massas;
  • Um peixe;
  • Acompanhamentos (no máximo 2 ou 3).

Tudo muito objetivo. Isto faz uma enorme diferença.

Na verdade, mantenha este serviço para fazer a ´´casa funcionar´´ no jantar também. Mais restrita e direcionada.

Porquê?

Ora, os clientes habituais irão perceber que vc. se preocupa com eles, e, mais do que isso, irão multiplicar com os conhecidos o que o seu restaurante está fazendo.

Marketing BOCA-A-BOCA no melhor nível!

E para quem quer um prato do cardápio normal?

Desculpe, mas há que se esperar, como qualquer mortal – e isto deve ser explicado pelos garçons, claramente, sem enganações. Se o cliente quer algum item do cardápio à la carte, mais elaborado, é necessário esperar pelo preparo do prato. E, que os garçons informem o tempo que isso irá demandar, sem enganações (mas guarde alguns minutos de “garantia” no bolso).

Como vcs. vêem, todos aprendemos. Eu, você, todos nós.

E, este é o meu trabalho: ler, pesquisar, conversar e passar para vocês tudo o que eu aprendi.


Fonte: Blog do Banas (www.unimarket.com.br)
Editora Nova Gestão Ltda. | Tels.: (11) 3562-3166 | (11) 3562-3170


Site desenvolvido por Lucia Cavalcanti