Cadastro Newsletter
Busca
PUBLICIDADE
Prêmio CP - 29/09/2016
Fotolia / Kadmy
16/12/2013 - 09h35
Interação cliente e garçom
Mais lucro para seu restaurante



O dia a dia do restaurante acaba colocando o relacionamento entre a equipe e a clientela num patamar educado e respeitoso, mas distante daquilo que poderíamos chamar de verdadeira interação entre os dois lados. Algo que poderia melhorar, e muito, as vendas do estabelecimento. No entanto, a função de tentar fazer este trabalho é dos garçons, não do cliente. Senão, vejamos abaixo o diálogo típico com o cliente:

´´Olá, meu nome é Francisco, e eu vou ser o seu garçom esta noite.´´

Quando o cliente pergunta: ´´O que é bom aqui?´´ e o garçom responde: ´´Tudo´´.

Depois que os pratos são servidos, o garçom pergunta: ´´Como está tudo?´´

Tudo o que está aí são clichês que os clientes ouvem sistematicamente. São frases que reduzem significativamente a possibilidade de construir uma interação entre os dois lados. E isto coloca um obstáculo no aumento das vendas de pratos/produtos.

Quando os garçons iniciam uma conversa mais personalizada e verdadeiramente interessada, muitas coisas começam a acontecer. Os cérebros se conectam e um diálogo mais significativo toma o lugar do monólogo desconexo. Os garçons interagem com os clientes e estes se sentem mais prestigiados pela equipe do restaurante.

Como isso afeta o seu negócio? Ora, clientes satisfeitos sempre estarão dispostos a voltar ao seu restaurante, e com muito mais frequência.

Use suas reuniões de pré-abertura para discutir as formas que os garçons podem melhorar sua interação com os clientes. Sugira antídotos às frases feitas, como:

• ´´Olá, meu nome é …´´  - A verdade é que a maioria das pessoas não se importa qual é o nome do garçom. Tente uma saudação do tipo: ´´Olá, bem-vindo ao Restaurante do Joaquim. Estamos felizes em tê-lo como cliente (ou vê-lo novamente).´´ Isso coloca o foco onde ele deve estar: no cliente e não no garçom. Faça com que o seu pessoal pratique as saudações com um sorriso brilhante e contato visual direto, e seu restaurante vai estar a quilômetros à frente da maioria dos seus concorrentes.

• ´´O que é bom aqui?´´ – Treine seu pessoal para descrever dois ou três itens que você faz muito bem ou, melhor ainda, procure saber qual a preferência do cliente e sugira algo que esteja muito perto do que ele gosta e que represente uma das marcas registradas do restaurante.

• ´´Como está tudo?´´ – Depois que o prato é servido, os garçons devem fazer perguntas específicas e que digam respeito ao que foi solicitado pelo cliente. ´´O filé está no ponto que o Sr. gosta?´´ ou, ´´Alguém precisa de mais molho vinagrete?´´ ou ainda, ´´O Sr. já provou a massa? Ela está de acordo?´´.

Quando há conversa com conteúdo, as conexões são feitas e os clientes se sentem valorizados. Bônus: aí, sim, eles vão querer saber o nome do garçom para que eles possam ser servidos pela mesma pessoa em sua próxima visita.

Quer marcar uma vantagem competitiva? Comece por criar um relacionamento mais acolhedor, sociável e inteligente com o cliente. Ele vai retribuir.


Fonte: Blog do Banas (www.unimarket.com.br)
Editora Nova Gestão Ltda. | Tels.: (11) 3562-3166 | (11) 3562-3170


Site desenvolvido por Lucia Cavalcanti