Cadastro Newsletter
Busca
PUBLICIDADE
Prêmio CP - 29/09/2016
06/09/2013 - 09h46
Alta do dólar leva camarão brasileiro novamente à Europa
A valorização do dólar e a recuperação de preços no mercado internacional levaram os produtores de camarão do Nordeste a investir novamente no mercado europeu.


Desde julho, o crustáceo está sendo vendido para países como França e Espanha. Os primeiros contêineres saíram de Ceará e Rio Grande do Norte, Estados que concentram cerca de 75% da produção nacional.

O Brasil atingiu o pico das exportações de camarão em 2003, com 58,5 mil toneladas. Em dez anos, as vendas internacionais despencaram; no ano passado, nem houve exportação.

A principal causa para a queda foi o real valorizado, que fez o produto brasileiro perder competitividade. O aparecimento da doença da mancha branca, causada por um vírus, afetou a produtividade de viveiros e inviabilizou criações, principalmente no Sul do país.

Volta ao mercado internacional é timida, mas deve se intensificar em 2014

Segundo o presidente da ABCC (Associação Brasileira dos Criadores de Camarão), Itamar Rocha, a reentrada no mercado internacional ocorreu de forma tímida, com a venda de 200 toneladas em julho, mas deve ser ampliada nos próximos meses.

´´O nosso camarão sempre teve uma procura muito boa em países como França e Espanha, e agora temos preço e competitividade. Começamos a exportar apenas para mostrarmos a nossa qualidade e mostrarmos a ´cara´ novamente. Mas vamos crescer em 2014´´, disse.

Segundo Rocha, o quilo do camarão (com cerca de 80 a 100 animais de 11 gramas, em média) está sendo vendido nesses países a cerca de US$ 6,80.

´´É um preço competitivo, considerando que, quando se exporta, não tem PIS, nem Cofins, por exemplo. Esse valor permite que a gente volte a esse mercado, o que é bom´´, afirmou.

Para criadores, brasileiro se acostumou a comer camarão

Segundo o empresário e presidente da Associação de Produtores do Rio Grande do Norte, Orígenes Monte Neto, a volta ao mercado internacional deve aquecer ainda mais o setor.

´´Representa uma vantagem para o produtor, que amplia seu mercado. Até 2006, nossa produção era basicamente para o mercado externo. Nós nos voltamos para o nosso país, e agora que o brasileiro se acostumou a comer camarão, não podemos deixar de produzir para cá´´, afirmou.

Apesar da retomada das vendas internacionais, os produtores garantem que não haverá redução da oferta no mercado interno. ´´O setor no Brasil só vem aumentando. Se houver demanda, podemos produzir mais. Nossa prioridade ainda é o mercado interno´´, disse Itamar Rocha.

Produção deste ano deve chegar a 80 mil toneladas de camarão

Em 2012, o país produziu 75 mil toneladas de camarão, que foram totalmente comercializadas no mercado interno. A expectativa é que a produção chegue a 80 mil toneladas este ano.

Segundo a ABCC, somente o Ceará deve responder pela produção de 45 mil toneladas este ano – cerca de 20% a mais que em 2012. O Rio Grande do Norte deve ficar na faixa de 25 mil toneladas. Os Estados da Bahia, Paraíba, Piauí e Sergipe respondem por quase todo o resto da produção nacional.

A associação tem 1.545 produtores. Desse total, 75% são micro ou pequenos produtores, 20% são médios e apenas 5% do total de empresários são considerados grandes.

Fonte: UOL - 06/09/2013

Editora Nova Gestão Ltda. | Tels.: (11) 3562-3166 | (11) 3562-3170


Site desenvolvido por Lucia Cavalcanti