Cadastro Newsletter
Busca
PUBLICIDADE
Prêmio CP - 29/09/2016
fotolia/esokolovskaya
10/05/2013 - 11h42
Preços mundiais dos alimentos subiram 1% em abril, diz FAO
Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, principal causa foi o declínio de produção de leite



Os preços mundiais dos alimentos subiram em média 1% em abril na comparação com março deste ano e também em relação a abril de 2012, divulgou hoje a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). O índice de preços da FAO, que reúne os custos de uma cesta de commodities, ficou em 215,5 pontos no mês. Nesse nível, o índice é apenas 9% inferior ao pico alcançado em fevereiro de 2011.  

Semelhante à evolução dos preços em março, o aumento de abril foi impulsionado quase que exclusivamente por uma forte aceleração nas cotações de leite. Os preços da carne mantivera-se estáveis, enquanto os de outros produtos alimentares caíram.

O índice de março foi revisto pela FAO em 213,2 pontos ante prévia de 212 pontos.

A principal causa do aumento dos preços observada nos últimos meses é um forte declínio na produção de leite da Nova Zelândia, depois de um período de seca anormalmente prolongada no início do ano. A seca fez os agricultores abaterem vacas leiteiras, o que causou uma redução no processamento de produtos lácteos. O índice que mede os preços do leite, chamado de FAO Dairy, subiu  14,9% (34 pontos) em abril ante março, para 258,8 pontos.

O índice para carne ficou em 178,7 pontos em abril, em nível constante desde o ano passado. Mas os preços da carne em geral permanecem elevados para os padrões históricos, alertou o órgão da ONU. “Desde o início de 2011, o índice manteve-se acima de seu pico anterior de 170 pontos, alcançado em meados de 2008”, diz relatório da entidade.

O índice que mede o preço dos grãos caiu 4,1% no mês, para 234,6 pontos, principalmente pelo declínio no preço do milho, dada a expectativa de aumento da produção em 2013.

A excessiva produção de açúcar esperada para o Brasil nesta temporada, que causa um  nível elevado de estoque mundial, também foi responsável pela queda do índice da FAO Açúcar em 3,6% em abril ante março, que fechou o mês em 252,6 pontos.

Por último, o preço dos óleos e das gorduras caiu em média 1,5% em abril e formou um índice de 199 pontos. O declínio foi liderado principalmente pelo óleo de palma e óleo de soja, refletindo bons estoques globais e uma aceleração esperada na produção.



Fonte: Valor Econômico - 09/05/2013
Editora Nova Gestão Ltda. | Tels.: (11) 3562-3166 | (11) 3562-3170


Site desenvolvido por Lucia Cavalcanti