Cadastro Newsletter
Busca
PUBLICIDADE
Prêmio CP - 29/09/2016
10/12/2012 - 09h45
Padarias precisam de 3.000 trabalhadores
Estabelecimentos do Grande ABC sofrem com rotatividade de mão de obra.


As padarias da região estão com deficit de 3.000 profissionais. A grande demanda se mantém no mesmo patamar do ano passado. E a rotatividade de trabalhadores é o principal fator para que os cerca de 1.000 estabelecimentos tenham tanta demanda.

Esta é a conclusão do presidente do Sipan-ABC (Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria de Santo André e região), Antonio Carlos Henriques. Ele explica que as médias e grandes padarias têm oferecido até plano de carreira aos funcionários, tendo em vista que a atividade de gerente é a mais remunerada, com chances de atingir salários de R$ 5 mil.

Mas os trabalhadores deixam de lado as casas de pães em troca de oportunidades, na maioria das vezes, em outros segmentos, como hotéis, restaurantes e até vendas em lojas. "Um vendedor é sempre um vendedor, que pode atuar em diversos setores. E um padeiro tem conhecimento para atuar em cozinhas", diz Henriques.

Experiência
O presidente da entidade lembra que as padarias procuram profissionais com experiência, mas também ofertam muitas vagas para aqueles que não têm conhecimento no assunto e pretendem aprender o ofício. "O único curso obrigatório para os funcionários, previsto pela nossa convenção, é o de higiene e manipulação de alimentos (oferecido pelo próprio sindicato)."

Fonte: Diário do Grande ABC - 10/12/2012

Editora Nova Gestão Ltda. | Tels.: (11) 3562-3166 | (11) 3562-3170


Site desenvolvido por Lucia Cavalcanti