Cadastro Newsletter
Busca
PUBLICIDADE
Prêmio CP - 29/09/2016
06/12/2012 - 11h00
Produtores seguram vendas à espera de reação no preço do café
De um ano para cá, o valor da saca do café tipo 6, bebida dura, caiu 33%. Sul de Minas Gerais é maior região produtora do país.


Com a chegada da entressafra do café, os produtores esperavam que o preço se mantivesse estável ou até com tendência de alta. Mas esse ano o mercado se mostra atípico. No sul de Minas Gerais, maior região produtora do país, os agricultores seguram as vendas à espera de uma reação do mercado.

O agricultor Artur Queiróz de Souza produziu nesta safra quatro mil hectares de café em cem hectares de área plantada na propriedade em Cambuquira, no sul de Minas Gerais. O produtor negociou a maior parte dos grãos, mas mil sacas ainda estão armazenadas.

A cautela do produtor para a comercialização do café está relacionada à desvalorização do preço da saca no mercado. De um ano para cá, o valor da saca do café tipo 6, bebida dura, caiu 33%.

No ano passado, nessa mesma época do ano, havia 660 mil sacas armazenadas na cooperativa de Varginha, em Minas Gerais, onde está estocada a produção de cinco mil associados. Agora, estão guardadas 820 mil sacas, com um aumento de quase 20%.

O gerente de vendas da cooperativa Marco Bíscaro diz que o volume de negócios está semelhante ao do ano passado, mas os produtores estão dosando a comercialização. “O produtor está vendendo na medida do necessário para cobrir as despesas e aguardando uma possível melhora nos preços nos próximos meses”, diz.

“Primeiro, a crise da economia do Hemisfério Norte, que são os principais consumidores de café. A crise na zona do euro, a crise nos Estados Unidos e mesmo a economia que desenvolveu-se pouco no Japão devido a problemas climáticos. Isso faz com que os compradores hajam com cautela. Nós tivemos também uma falsa imagem no mundo de que existe excesso de café no Brasil, o que não é verdade. A nossa produção é a produção necessária para cumprir nossos compromissos de exportação e consumo interno. Também houve esse fato de que o produtor brasileiro está financiado, acredita no mercado. Ele vende só o café necessário para cumprir os compromisso”, diz o analista de mercado Eduardo Carvalhaes.

Fonte: G1 - 05/12/2012

Editora Nova Gestão Ltda. | Tels.: (11) 3562-3166 | (11) 3562-3170


Site desenvolvido por Lucia Cavalcanti